MA – Fake news – não caia nelas e não compartilhe

0
89

Basta um celular simples com acesso à internet e qualquer indivíduo é capaz de promover uma live, publicar um artigo, um vídeo, uma foto; escrever uma reportagem, mostrá-la ao mundo, disseminar informações ao toque de um botão. As facilidades do mundo digital democratizam a informação, mas também impõem um perigo cada vez mais palpável e real: as fake news, ou, em português, notícias falsas.

Mentiras e discursos enganosos sempre fizeram parte da história, mas a facilidade com que esses discursos se espalham na internet cresce todos os dias. As notícias falsas se espalham 70% mais rápido que as verdadeiras e alcançam muito mais gente, segundo estudo realizado por cientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), dos Estados Unidos. 

Em um ano tão importante para o Brasil, é preciso redobrar a atenção com a disseminação de fake news. Por isso, o Sindsemp-MA separou algumas dicas para você reconhecer e combater as informações falsas. Confira:

1. Desconfie das informações que recebe, principalmente de redes sociais

Com o número cada vez maior de canais para circulação de informações falsas, é preciso ficar atento com o que você recebe nas redes sociais. Seja um post compartilhado por um amigo no Instagram ou uma mensagem alarmante encaminhada pelo Whatsapp, sempre desconfie da veracidade do que está lendo.

As informações falsas são usadas para manipular pessoas e destruir reputações, influenciando processos eleitorais e disseminando pânico entre as pessoas, o que pode colocar a própria vida das pessoas em risco. 

Sempre cheque qual é a fonte do que está sendo veiculado e questione a pessoa que está disseminando aquela notícia. De onde aquela notícia veio? Quem checou?

2. Questione a veracidade das informações 

Tendemos a acreditar naquilo que concorda com nossos pensamentos. Portanto, fake news que confirmem ou reforcem ideias e valores que a pessoa já tenha vão facilmente parecer verdade e, muitas vezes, serão compartilhadas sem qualquer questionamento.

Se a informação vem desacompanhada de uma origem ou fonte, desconfie; especialmente se o que estiver sendo propagado parecer algo importante, que você não viu em outros veículos. Verifique a data da informação, pois, às vezes, as fake news vêm em forma de notícias antigas que passam a ser publicadas como novas, causando alarde e pânico.

3. Sites de checagem podem ajudar a identificar notícias falsas

Com a disseminação das fake news, diversos sites de checagem de fatos têm se estabelecido no Brasil e no mundo, por meio do trabalho sério de profissionais qualificados e preparados. Confira os principais sites de checagem de notícias do Brasil:

E, para quem quiser melhorar os conhecimentos sobre fake news há o projeto “Vaza, Falsiane“, que oferece curso gratuito sobre o tema.

4. Cheque os sites dos grandes veículos de mídia

Caso ainda tenha dúvida sobre a veracidade de uma informação, confira os sites de grandes veículos tradicionais de mídia. Por terem anos de história e uma reputação consolidada no meio jornalístico, essas empresas avaliam criteriosamente aquilo que será publicado, por meio da checagem de fatos com produtores e repórteres. Deste modo, a possibilidade de disseminar uma informação falsa é menor. Se a informação que você procura não está disponível em nenhum site tradicional, fique alerta.

5. Não compartilhe informações sem ter certeza de que são verdadeiras

Fake news se alimentam e crescem por meio de cliques e compartilhamentos. Por isso, nunca compartilhe algo dizendo “não tenho certeza de que é verdade, mas vou enviar mesmo assim”. Cheque a veracidade daquilo que você compartilha para evitar que pessoas sejam lesadas, reputações sejam prejudicadas, pânico seja espalhado e a sociedade perca como um todo.

Ajude a fazer um Brasil mais transparente. Diga não às Fake News.