Biblioteca Nacional em Brasília e prédios de outras seis capitais tiveram projeções contra a reforma administrativa no final de semana

0
69

A FENAMP e a ANSEMP promoveram, no último final de semana, o “Projetaço Contra a Reforma Administrativa” em Brasília e outras seis capitais. O evento iniciou na noite de sexta-feira (18), com projeções em prédios de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Minas Gerais. No sábado, o evento encerrou o dia de mobilizações pelo país contra o governo Bolsonaro com projeções em Brasília, Recife e Salvador. Na Capital Federal, as mensagens foram lançadas sobre o prédio da Biblioteca Nacional. A ação foi uma parceria com a Assemperj/Sindsemp, Sindsemp-BA, Sindsemp-MG, Sisejufe/RJ, Sitraemg e Serjusmig. 

As sete capitais foram escolhidas pelas entidades para pressionar os membros da Comissão Especial da Reforma Administrativa (PEC32/20) na Câmara dos Deputados, que inicia a discussão da proposta nesta semana. Ao todo, 27 dos 46 titulares da Comissão têm suas bases nos estados onde ocorrem as projeções. Além disso, o presidente do colegiado é o deputado pernambucano Fernando Monteiro (PP/PE) e o relator é o deputado federal pelo estado da Bahia Arthur Oliveira Maia (DEM/BA).

A PEC 32/20 vem enfrentando a resistência das entidades ligadas ao funcionalismo público desde que foi apresentada pelo governo Bolsonaro, em setembro do ano passado. O setor aponta que a proposta, além de retirar direitos dos servidores, ainda terá efeitos danosos à prestação dos serviços públicos com o aumento dos cargos comissionados como a descontinuidade e o aumento da corrupção. 

O vice-presidente da ANSEMP e presidente da Assemperj, Flávio Sueth, destaca que a atividade foi um esforço conjunto de diferentes entidades para dialogar com a população sobre proposta de reforma administrativa: “A ANSEMP e a FENAMP juntaram-se a outras entidades de servidores para as atividades de projeções em sete capitais buscando chamar a atenção e conscientizar à população sobre os efeitos danosos da Reforma Administrativa que tramita no Congresso Nacional. As imagens trouxeram mensagens simples e diretas sobre as consequências para a sociedade caso a proposta não seja barrada”.

Além de mensagens sobre a importância dos serviços públicos, o grupo também utilizou artes dos chargistas Carlos Latuff e Duke, que denunciam os impactos da medida sobre os serviços públicos.