CSP-Conlutas – Relatório do setorial de negros e negras realizado em 14/2/2020

0
240

SETORIAL NEGRAS E NEGROS

PARTICIPANTE: QRC (ES, RJ, MA, MG, SP), Sindsef-SP, SEDUFSM-ANDES-SN, SINTUFF, Base SEPE-RJ, Opos. Sindsprev /RJ e MG, Apeoesp São Paulo e São José dos Campos, Oposição Apeoesp, Oposição Susmar, Coletivo Feminista Mariele Vive, Sintes-Ma, SINDCAGESE-Se, Sindsef-SP, 1º de Maio. Simerj-minoria.

PAUTA:

  • Desdobramentos das Resoluções do IV Congresso da CSP-CONLUTAS;
  • Informes das Entidades/Movimentos e Estados;
  • Resoluções

CONSIDERANDO

Que urge a necessidade de aprofundar a discussão com as companheiras e companheiros da CSP-CONLUTAS sobre a importância do Combate ao Racismo estrutural e estruturante no cotidiano da luta sindical e da sociedade capitalista, que vem se aprofundando com o desmonte no Estado brasileiro: com o governo Bolsonaro intensificando os ataques aos setores oprimidos e explorados, está colocado na ordem do dia a priorização da unidade sindical e de lutas. Posto que nas periferias os indicadores demonstram um acelerado genocídio da população pobre, negra e jovem bem como uma total negação de qualidade de vida pelos governos, para além desta questão, ainda vemos uma informalidade dos movimentos com estes debates.

RESOLUÇÕES:

1 – A realização de Campanha de Combate ao Racismo, a ser incrementada, a partir do calendário de lutas da CSP-CONLUTAS 08M, 14M, 21M.

2 – A CSP-CONLUTAS impulsione, em nível nacional, as atividades do Calendário de lutas do 8M, 14M e 21M.

3 – Realizar Campanha de Denúncia contra estupros, assédios de crianças e jovens (articular junto ao Setorial de Mulheres da CSP-CONLUTAS).

4 – Realizar no mês de maio/2020 o Seminário Nacional de Organização Sindical pela Base da CSP-CONLUTAS de Combate ao Racismo – também se formou comissão no setorial pra junto a SEN, organizar o Seminário Nacional.

5 – Realizar o Seminário Nacional “Reparação” para o 2º semestre de 2020.

6 – Sobre o 20 de Novembro – Dia Nacional da Consciência Negra – apontou-se a necessidade de resgatar a campanha pelo feriado nacional, frente aos ataques do atual governo federal.

7 – Campanha em defesa dos serviços públicos gratuitos 100% Estatal para população negra.

8 – Pelos tratamentos de pacientes crônicos, fármacos especificamente para câncer e HIV.

9 – Diante do aprofundamento da miséria em países africanos, como Angola, e latino-americanos, como o Haiti, se faz necessário resgatar “Campanhas Internacionais” (discutir com o Setorial Internacional as formas de como viabilizar tais campanhas).

10 – Orientar os sindicatos base da CSP-CONLUTAS a necessidade de implementar a representação de negras e negros nas diretorias sindicais, nas vagas as delegações que participam das atividades da CSP-CONLUTAS, fortalecendo esta luta na direção da CSP-CONLUTAS.

11 – Que a CSP-CONLUTAS seja uma ferramenta de luta na questão ambiental – incêndios e enxurradas – bem como as questões da saúde, já que ultrapassou a questão da precarização entrando em processo de fechamento, prejudicando a saúde do trabalhador negro e trabalhadora negra e a população em geral.

12 – Participar em parceria com a OAB-RJ do debate “Colonialismo, Racismo e Reparação”, em 10 de março de 2020, no auditório nobre da OAB-RJ, com a participação de estudantes estadunidenses que estudaram o processo de Reparação feito por ativistas da Namíbia, que vieram ao Brasil pela CSP-CONLUTAS em 2019.

13 – Que a CSP-Conlutas siga impulsionando a campanha de apoio a companheira Allany (expatriada pelo Governo Bolsonaro), enviar moção para órgãos competentes.