PGR declara Inconstitucional Cargos Comissionados em SC – Simpe

-

banner (1)

A Procuradora-geral da República, Raquel Dodge, se manifestou pela procedência da ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade 5.777/SC) sobre cargos Comissionados no MPSC. A ANSEMP alega que a desproporcionalidade do número de cargos comissionados (1.205) com o de cargos efetivos (655) no quadro do MPSC ofende o art. 37- caput (princípios da moralidade, da impessoalidade e da eficiências) e II (regra do concurso público) da CR.

“vale lembrar a notícia da associação autora de que em quinze anos o MPSC multiplicou por quatorze o número de cargos de livre provimento e apenas por dois o número de cargos a serem preenchidos por servidores efetivos. Isso porque, em 2002, o MPSC contava com 382 cargos efetivos e 86 cargos comissionados, enquanto que, em 2017, conta com 655 cargos efetivos e 1.204 comissionados. Há, portanto, flagrante inconstitucionalidade na criação e na ocupação dos cargos comissionados no âmbito do MPSC”, manifestou em documento Dodge.

Trata-se de ação direta de constitucionalidade, com pedido de medida cautelar, proposta pela Associação Nacional dos Servidores do Ministério Público – ANSEMP, em face das Leis Complementares catarinenses nºs 276/2004 (art. 1º), 368/2006 (arts. 3º e 6º), 400/2006 (art. 4º), 505/2010 (art. 2º), 517/2010 (arts. 4º e 5º), 599/2013 (art. 3º), 629/2014 (art. 4º), 650/2015 (art. 3º), 653/2015 (art. 1º), 664/2015 (arts. 5º e 6º), 665/2015 (art. 6º), 683/2016 (art. 6º), nos pontos em que criam inúmeros cargos de provimento em comissão no âmbito do Ministério Público de Santa Catarina – MPSC.

Últimas

Assemperj promove encontros com os candidatos a PGJ

A Assemperj/Sindsemp-RJ entregou nesta semana uma carta aberta dos servidores do MPRJ aos candidatos a Procurador-Geral de...

Servir Brasil lança mais um estudo sobre administração e o serviço público no país

O 14º Estudo Técnico sobre a administração e os servidores públicos brasileiros acaba de ser publicado pela Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público (Servir Brasil). A nova edição é dedicada ao impacto da Reforma Administrativa para atuais e futuros servidores. A publicação esmiúça cada uma das alterações prevista no Artigo 39-A da Proposta.

Avaliação de desempenho não pode ser ferramenta de perseguição a servidor

Tendo como um de seus pilares a temática de produtividade do setor público, a Reforma Administrativa (PEC 32/20) propõe mudanças na avaliação de desempenho para o servidor, mas não apresenta uma proposta para isso, e uma das grandes questões é quais critérios e medidas serão utilizados para julgar esse conjunto de comportamentos.

RJ – Estudo do Dieese aponta perdas de até 38% nos salários dos servidores do MPRJ

O Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) realizou um estudo encomendado pela Assemperj/Sindsemp-RJ que apontou perdas inflacionárias nos salários dos servidores do MPRJ de até 38% desde a última recomposição, e sem levar em consideração o congelamento dos triênios.

Mais Lidas

Você tambám vai se interessarRelacionado
Para você