Projeto que permite demitir servidores é apoiado pelo senador Lasier Martins

-

Diversas entidades que representam os servidores têm repudiado o Projeto de Lei do Senado (PLS) 116/2017, de autoria da senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE), que dispõe sobre a perda do cargo do servidor público estável por “insuficiência de desempenho”. O projeto começou a tramitar na Casa em abril deste ano e desde então tem enfrentado a resistência dos servidores e suas representações.

O senador gaúcho Lasier Martins, relator da proposta na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado, já apresentou seu relatório favorável ao Projeto de Lei com um substitutivo ao projeto original, com algumas adequações que não mudam em nada o grave problema criado pela medida.

Na prática, o projeto de lei busca regulamentar as avaliações de servidores e a possível demissão dos que não desempenharem adequadamente as funções.

Na avaliação das entidades, o projeto é um dos mais graves ataques ao serviço público brasileiro, pois submete os servidores de todas as esferas de poder a uma avaliação subjetiva de desempenho, com critérios obscuros por detentores de mandatos eletivos ou por agentes políticos inescrupulosos e que abre ainda mais espaço para perseguição aos servidores. É mais um passo deste governo golpista de atacar os servidores e o serviço público através da visão do Estado mínimo.

A proposta, coincidentemente, começa a tramitar no mesmo momento em que é anunciado um Plano de Demissão Voluntária (PDV) para cinco mil trabalhadores do Executivo. Várias entidades de classe estão se mobilizando para que a matéria seja engavetada.

Pela lei atual, o servidor estável, aprovado em concurso e que cumpriu três anos de estágio probatório, só pode perder o cargo em certas situações muito raras ou graves, como em um extenso processo administrativo. O PLS nº 116/2017 foi apresentado em abril pela senadora Maria do Carmo Alves (DEM-SE) e prevê a avaliação do desempenho dos servidores periodicamente e a demissão dos que forem mal avaliados.

Assessoria de Comunicação

12/09/2017 20:40:34

Últimas

MT – MPE revoga demissão de ex-sindicalista que foi exonerado na gestão de Prado

O Ministério Público Estadual (MPE) revogou a demissão do servidor João Guilherme de Oliveira Vicente Ferreira, ex-presidente do Sindicato dos Servidores do Ministério Público do Estado de Mato Grosso (Sindsemp-MT). Ferreira havia sido demitido por se ausentar do cargo por um ano supostamente sem autorização administrativa da Procuradoria-Geral de Justiça (PGJ), enquanto tinha atuação sindical.

Nota de Repúdio — Aprovação da PEC 186/19

A Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público (Servir Brasil) repudia a iniciativa do governo federal de acelerar a articulação no Congresso Nacional visando à aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 186/19. A PEC 186/19 institui mecanismos de ajustes fiscais para reduzir gastos públicos, incluindo a redução de jornada de trabalho e…

RJ – Presidente da Assemperj e membros do FOSPERJ são nomeados para o Conselho Fiscal do RIOPREVIDÊNCIA

O governador em exercício do Estado do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, publicou um decreto no Diário Oficial de ontem (13/01/21), nomeando os membros do Conselho Fiscal do Fundo Único de Previdência Social – RIOPREVIDÊNCIA.

Não incide contribuição social sobre o terço constitucional de férias para os servidores públicos

Recentemente, o Supremo Tribunal Federal julgou o recurso extraordinário nº 1.072.485, da relatoria do Ministro Marco Aurélio, que gerou o tema de repercussão geral nº 985, ementado como: "É legítima a incidência de contribuição social sobre o valor satisfeito a título de terço constitucional de férias.

Mais Lidas

Você tambám vai se interessarRelacionado
Para você