Especialistas debatem reformas durante seminário do SindisempPB

0
364

Servidores do Ministério Público da Paraíba participaram, nesta sexta-feira (30), de um seminário para discutir as Reformas Trabalhista e da Previdência Social. O evento foi realizado no auditório Procurador Edigardo Ferreira Soares, no edifício sede do Ministério Público da Paraíba, em João Pessoa.

Na oportunidade, os participantes assistiram às palestras de especialistas e puderam tirar dúvidas sobre o tema.

A professora Elisabete Araújo Porto criticou as mudanças e lembrou que um dos pontos negativos da medida proposta pelo governo federal diz respeito ao limite de idade para que o trabalhador se aposente. “Só pra se ter um ideia, um recém formado que comece a trabalhar aos 25 anos só poderá se aposentar aos 65 anos, sem que haja qualquer interrupção, o que é quase impossível”, afirmou.

Outro que também ministrou palestra foi Dr. José Godoy Bezerra de Souza. Em sua fala, Godoy questionou os critérios adotados pelo governo para estabelecer um novo limite de idade para aposentadoria. Segundo ele, os argumentos apresentados para a mudança não se sustentam, uma vez que 68% das aposentadorias pagam o valor de um salário mínimo a seus beneficiários. “Um levantamento mostra que se a reforma já tivesse em vigor em 2015, apenas 21% das aposentadorias seriam deferidas”, comentou.

O presidente do Sindicato dos Servidores do Ministério Público da Paraíba (SINDSEMP-PB), Daniel Guerra, disse que o seminário foi um grande sucesso. Conforme Daniel, muitas das questões abordadas durante o evento sequer são discutidas com a sociedade. “Trouxemos profissionais-especialistas do mais alto nível para debater os temas das reformas e ficamos muito satisfeitos com o resultado. Quem participou do Seminário, pôde perceber a partir das apresentações, a gravidade e o enorme retrocesso social que essas reformas, se aprovadas, provocarão”.

O presidente do Sinasempu-PB, José Siqueira Júnior, se mostrou preocupado com o grau de letargia da população e disse que algo precisa ser feito para mudar esse panorama.

Siqueira também fez questão de agradecer ao SINDSEMP pela oportunidade e se colocou à disposição para colaborar com outras pautas em comum dos dois sindicatos. “Temos um déficit de moral e um superávit de corrupção nesse país,e isso só mudará quando fizer algo. Temos que agir”, desabafou.

O evento foi realizado em parceria com a Federação Nacional dos Servidores dos Ministérios Públicos Estaduais (Fenamp), que foi representada pelo coordenador executivo Aloysio Carneiro Júnior. Além da Fenamp, também contou com a colaboração do Sindicato Nacional dos Servidores do Ministério Público da União e Conselho Nacional do Ministério Público (Sinasempu) e Centro de Estudo e Aperfeiçoamento Funcional (CEAF).

Após as palestras, foi servido um coffe-break aos participantes.

Alexandre Freire – assessoria

banner (1)