MINAS GERAIS: Escândalo das horas extras no TRE-MG

-

TCU condena a servidora Elizabeth Rezenda Barra, ex-diretora-geral do TRE-MG, ao pagamento de multa de 10 mil reais.

A sanção também foi aplicada à então Secretária de Orçamento e Finanças do TRE mineiro, Maria Leonor Almeida Barbosa de Oliveira Santos, que terá de recolher aos cofres da União o montante de 5 mil reais.

Em ano de eleições, a Justiça Eleitoral do Brasil costuma ganhar notoriedade junto aos eleitores e à opinião pública em geral. Em Minas Gerais, no início do ano de 2013, eclodiu o maior escândalo envolvendo um grupo seleto de servidores do alto escalão do TRE-MG, que realizaram horas extras em pleno recesso forense, engordando seus contracheques com quantias vultosas. O caso ganhou enorme repercussão da mídia à época, havendo inclusive sido capa dos principais jornais impressos de Minas Gerais.

E foi graças ao trabalho da imprensa que o escândalo denunciado foi apurado pelos órgãos da Justiça, do Ministério Público Federal e do Tribunal de Contas da União. Exemplo disso é o Acórdão nº 1124/2015, do TCU, que julgou irregulares as autorizações para pagamento em dinheiro de horas extras realizadas por um grupo de servidores do alto escalão do TRE de Minas durante o recesso forense de 2012/2013, entre eles a ex-diretora-geral, Elizabeth Rezende Barra, e a ex-Secretária de Orçamento e Finanças, Maria Leonor Almeida Barbosa de Oliveira Santos, atual Diretora da Coordenadoria Contábil e Financeira do referido Tribunal.

A decisão do TCU determinou ainda que o TRE-MG elabore plano de ação prévio à realização de plantões durante os recessos forenses, no sentido de evitar o pagamento indiscriminado de horas extras a determinado grupo de servidores. O Órgão de Controle sugeriu que o CNJ fixe regras gerais para o funcionamento do Poder Judiciário no período do recesso forense, além de haver determinado a ciência da decisão prolatada a todos os Tribunais Regionais Eleitorais do País, bem como ao Tribunal Superior Eleitoral.

Veja [Download não encontrado.]cópia da decisão do TCU.

 

Últimas

FENAMP participa de reunião com líder Frente Parlamentar Mista da Reforma Administrativa

A FENAMP e a ANSEMP participaram, na quarta-feira (21), de reunião com o líder Frente Parlamentar Mista...

Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público apresenta pedido de suspensão da tramitação da PEC 32/2020

A Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público (Servir Brasil) protocolou, na noite de quarta-feira (21),...

Em ação com outdoors, SINDSEMP-SE dá visibilidade na luta contra Reforma Administrativa

O SINDSEMP-SE está empenhado na campanha de informação sobre os malefícios da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 32/2020,...

Frente Servir Brasil cobra divulgação de dados que governo federal usou para Reforma Administrativa

Os parlamentares da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público (Servir Brasil) protocolaram, na noite desta quarta-feira (21/10), um mandado de segurança que solicita ao Ministério da Economia abertura de dados que deram suporte à PEC 32/2020, conhecida como a Reforma Administrativa.

Mais Lidas

- Advertisement -

Você tambám vai se interessarRelacionado
Para você