SIMPE expressa seu apoio aos servidores do MP em greve em Goiás e em Minas Gerais

-

 

Em Goiás, em Assembleia realizada pelo SINDSEMP, na sexta-feira, dia 23/10, os servidores do MPGO decidiram, por unanimidade, entrar em greve em todo o Estado. O movimento, segundo o Sindicato da categoria, é para derrubar o veto Governador ao Projeto de Lei que concede a Revisão Geral Anual – RGA (data-base) à categoria.

A luta dos trabalhadores objetiva garantir a reposição inflacionária de 2014 (INPC de 6,22%), conforme está previsto na Constituição Federal e na Lei Estadual 14.698/2004, bem como exigir a Autonomia e Independência Administrativa e Financeira do Ministério Público de Goiás.

Diante da possibilidade dos servidores amargarem enorme perda salarial, a Assembleia Geral Extraordinária do SINDSEMP, decidiu, por unanimidade, permanecer em GREVE até que seja apreciado o veto ao referido Projeto de Lei, o que está previsto para acontecer na terça-feira, dia 03/11/2015.

Durante a greve, a categoria tem realizado manifestações e pelo menos duas atividades já estão agendadas: no dia 28, Dia do Servidor Público e dia 3, na apreciação do veto na ALEGO.

MINAS GERAIS

Em Minas Gerais, a greve iniciou dia 5 de outubro e foi deflagrada, segundo o Sindicato, após  várias tentativas infrutíferas de negociação com a Procuradoria-Geral de Justiça (PGJ). O órgão administrativo do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) se nega a cumprir Lei Estadual, Constituição Federal e Resolução do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) que garantem à categoria recomposição anual das perdas salariais causadas pela inflação. Também não aceita negociar o retorno da jornada diária de 6 horas – pleito antigo – que traria economia à instituição.

No dia 22 último, em nova assembleia, os servidores avaliaram o movimento e definiram os rumos da greve. A avaliação foi de que o movimento vem ganhando força. Foi destacado que os direitos garantidos pelos Servidores devem ser exigidos, pois estão constitucionalmente previstos, como a DATA-BASE.

Também foi colocado que depois da concessão da suplementação orçamentária feita pelo Estado ao MPMG, não há mais qualquer motivo para não efetuar o pagamento aos servidores.

Durante a plenária, os Servidores do MPMG, discutiram e esclareceram diversas de suas dúvidas, além de sugerir estratégias para um avanço ainda maior das mobilizações de GREVE. Dentre outras decisões, um Comitê de GREVE foi criado para possibilitar o auxílio de outros servidores do MPMG nas decisões da Diretoria do SINDSEMPMG e também será articulada uma ação “boca a boca” para ampliar o diálogo com a Sociedade e esclarecer as situações vivenciadas no MP que ocasionaram a GREVE. Por fim, ficou definido que o diálogo com a Administração da Procuradoria de Justiça continuará aberto para negociações, desde que os direitos dos Servidores não sejam desrespeitados.

O SIMPE-RS manifesta sua solidariedade aos colegas de Goiás e de Minas Gerais e deseja a todos uma boa e vitoriosa luta. A entidade também está enviando Moção de Apoio aos respectivos sindicatos.

Assessoria de Comunicação

C/Informações do SINDSEMP e do SINDSEMPMG

Últimas

FENAMP participa de reunião com líder Frente Parlamentar Mista da Reforma Administrativa

A FENAMP e a ANSEMP participaram, na quarta-feira (21), de reunião com o líder Frente Parlamentar Mista...

Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público apresenta pedido de suspensão da tramitação da PEC 32/2020

A Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público (Servir Brasil) protocolou, na noite de quarta-feira (21),...

Em ação com outdoors, SINDSEMP-SE dá visibilidade na luta contra Reforma Administrativa

O SINDSEMP-SE está empenhado na campanha de informação sobre os malefícios da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 32/2020,...

Frente Servir Brasil cobra divulgação de dados que governo federal usou para Reforma Administrativa

Os parlamentares da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público (Servir Brasil) protocolaram, na noite desta quarta-feira (21/10), um mandado de segurança que solicita ao Ministério da Economia abertura de dados que deram suporte à PEC 32/2020, conhecida como a Reforma Administrativa.

Mais Lidas

- Advertisement -

Você tambám vai se interessarRelacionado
Para você